Transplante de Pâncreas

Acompanhe o TP

Artigos

Candidíase - um mal comum em diabéticos e transplantados

Data de Publicação: 01/12/2014

Fonte: Transplante de Pâncreas   

A candidíase é causada por um fungo chamado cândida. Estamos freqüentemente entrando em contato com esse fungo em banheiros, vestiários, praias, piscinas, etc... Muitas vezes até temos ele presente em nosso organismo, mas em pequena quantidade, não chegando a causar dano algum.

Os locais mais comuns são a boca, esôfago, intestino, ânus, vagina e pênis. Se o nosso sistema imunológico está funcionando adequadamente a população de fungos é mantida sob controle. Mas, caso o sistema imunológico seja suprimido a cândida pode rapidamente se multiplicar, vindo a causar um irritação muito grande na pele ou mucosa acometida, originando a doença conhecida como candidíase.

A cândida ainda tem a peculiaridade de se desenvolver muito bem em ambientes "açucarados", por isso ela é tão comum em diabéticos, servindo até como um sinal de que a glicemia pode estar alta.

Os sintomas são decorrentes de uma forte irritação do local infectado, causando ardor, coceira e descamação da pele ou da mucosa. Assim, na candidíase oral temos a formação de aftas. No esôfago (órgão que comunica a boca com o estômago) causa dor no peito, queimação na boca-do-estômago e dor ao engolir alimentos. No ânus causa coceira e ardor. Na vagina, coceira, ardor e às vezes um corrimento espesso, tipo uma "massinha branca". No pênis, causa coceira, ardor e descamação da pele, às vezes chegando a ferir.

Se você tiver estes sintomas, procure com urgência, o médico.

Não é possível curar a candidíase, caso não se compense o diabetes: os dois tratamentos têm de ser feitos conjuntamente. Quando a imunossupressão é uma necessidade, como no caso dos transplantados, podemos usar medicamentos de tempos em tempos (quinzenal ou mensal, por exemplo) a fim de não deixar que a doença se manifeste.

É possível prevenir a contaminação pela cândida, através de algumas medidas como:

- lavar as mãos antes e depois de ir ao banheiro
- não se sentar no vaso sanitário
- no banho, não se sentar no chão do Box ou banheira. Não tomar banho de banheira.
- as mulheres devem lavar as mãos antes de colocar absorventes internos.
- na praia ou piscina, não se sentar no chão ou qualquer banco sem antes forrar o local com uma toalha seca e limpa.
- não "secar" o maiô ou biquíni no corpo. Se não for mais nadar, tomar um banho de água doce, lavando bem os genitais e o maiô.
- o casal deve fazer uma higiene íntima antes de ter relações sexuais. O ideal é sempre tomar um banho antes de dormir.
- o uso de um xampu antimicótico para higiene íntima pode prevenir a candidíase. Ele deve ser usado na vulva, nos pelos pubianos, ânus e virilhas, assim como no pênis e escroto.
- Diabéticos devem manter sempre o controle da glicemia para evitar o aparecimento desta infecção fúngica.
-Transplantados devem estar atentos aos sintomas e na ocorrência dos mesmos, comunicar sua equipe transplantadora, pois muitas vezes se faz necessário, o ajuste de suas medicações imunossupressoras.

Mesmo tomando todos esses cuidados, a candidíase pode ocorrer, sendo então preciso o tratamento com comprimidos e cremes por pelo menos 14 dias, sempre prescritos pelo médico. Quanto mais cedo iniciar o tratamento mais curto ele poderá ser.

Por fim, uma dica: se você for acometido por uma forte coceira, o que mais alivia são compressas com um pano embebido em água bem gelada, até que os medicamentos comecem fazer efeito.


Dra. Priscila de Azevedo Noronha, médica ginecologista.

Veja mais

Artigos

im  Transplante de Rim Intervivos com Doação Renal Pareada
im O Médico Transplantador
im Não Desista!!!
im Transplante de Rim Intervivos com Doação Renal Pareada
im Equipe HEPATO Reduz Tempo na Fila de Espera para Transplante de Pâncreas-Rim