Transplante de Pâncreas

Acompanhe o TP

Notícias

Quando pensar em transplante de pâncreas para diabéticos?

Data de Publicação: 20/02/2019

Fonte: Transplante de Pâncreas   
Autor: Dr. Marcelo Perosa

QUANDO PENSAR EM TRANSPLANTE DE PÂNCREAS PARA OS DIABÉTICOS?
Os Transplantes de Pâncreas(TP) representam tratamento consolidado há mais de 30 anos para alguns diabéticos tipo 1. Como se trata de cirurgia complexa e delicada e necessidade de imunossupressores(drogas contra rejeição) para o resto da vida, somente cogita-se a realização dos TP para diabéticos graves, cujo risco de permanecer diabético seja maior do que o risco do transplante.

Perguntas frequentes:
1. O TP é para qualquer diabético?
R: Definitivamente não. Como o TP carrega riscos , somente é indicado para diabéticos tipo 1 graves e divide-se basicamente em 3 indicações:

A) TRANSPLANTE DE PÂNCREAS E RIM SIMULTÂNEO: indicado para diabéticos tipo 1 em insuficiência renal crônica, já necessitando de diálise ou na iminência de diálise; estes diabéticos já teriam necessidade do Transplante Renal. Aproveita-se esta necessidade e realiza-se também o TP eliminando a doença de base, o Diabetes tipo 1.

B) TRANSPLANTE DE PÂNCREAS APÓS RIM: recomendado para diabéticos tipo 1 já transplantados renais previamente e com função do rim estável( creatinina < 2,0mg/dl ou Clearance Creatinina > 40ml/min). Estes pacientes já estão sob uso de imunossupressores para o rim. Acrescenta-se o procedimento do TP , elimina-se o Diabetes e o paciente permanecerá com os mesmos medicamentos do Tx de rim.

C) TRANSPLANTE DE PÂNCREAS ISOLADO: esta é a categoria menos praticada , mas recomenda-se para diabéticos tipo 1 ainda com função renal preservada ( Clearance Creatinina > 60ml/min) desde que considerados hiperlábeis e desde que aderentes ao tratamento, fazendo acompanhamento regular com seu endócrino, monitorização glicêmica adequada e sendo bem disciplinado nos seus cuidados. Diabetes hiperlábeis devem ser atestados pelo endócrino de origem e caracterizam-se por tentativas prévias de diversos esquemas de insulina, bomba de insulina, dieta adequada e mesmo assim continuando a cursar com HIPOGLICEMIAS ASSINTOMÁTICAS. Estes diabéticos geralmente perdem a capacidade se perceber a hipoglicemia e simplesmente apagam, precisando do socorro de terceiros com frequência e idas frequentes ao Pronto Socorro por hipos ou até convulsões. Segundo a legislacao dos transplantes , tais pacientes só podem ingressar na fila de transplante de posse de laudo detalhado de seu endócrino confirmando tratar-se de Diabetes Hiperlábil.

2. O TP cura o Diabetes?
O transplante nao pode ser chamado de cura pois precisará tomar imunossupressores para o resto da vida para manter o órgão funcionando. Mas os diabéticos vivenciam sensação de cura uma vez que assim que termina a cirurgia, não há mais necessidade de insulina e passa a se alimentar normalmente.

3. Como faz para entrar na fila de transplante?
Desde que com os critérios acima, o paciente deve passar com uma equipe de transplante devidamente cadastrada pelo Min. da Saúde e , se confirmada a indicação, esta equipe poderá inscrevê-lo na fila.

4. O TP tem riscos?
Como todo procedimento cirurgico há riscos. A mortalidade após TP varia de 2 a 5% , que é considerada pequena comparada à mortalidade de um diabético em diálise, de cerca de 10% ao ano.

5. Como é a cirurgia do TP?
Os transplantes duplos duram cerca de 5 hs e os só de pâncreas , cerca de 3 horas. Lembrando que o pâncreas e o rim do paciente não são removidos. Apenas colocam-se novos órgãos em locais diferentes.

6. Quanto tempo fica internado após o TP?
A técnica do TP melhorou muito e hoje em dia os pacientes ficam entre 5 a 7 dias internados. Mas os 3 primeiros meses são de
muita vigilância, fazendo exames e consultas 1-2x/ semana e é comum reinternação por infecções neste período.

7. Como se consegue o doador?
Uma vez na fila, a colocação na lista obedece a data de inscrição, con tempo de espera médio de um ano na fila de transplante duplo de pâncreas-rim e de 1 a 3 meses na fila só de pâncreas. Para os candidatos a transplante de pâncreas-rim, tendo um doador renal vivo na familia, pode-se inicialmente realizar o Tx renal intervivos e, alguns meses após, procede-se ao Tx de pâncreas após rim. Os doadores de pâncreas são sempre falecidos, pacientes que sofreram trauma craniano ou derrames e entraram em morte encefálica.

8. É possível o TP pelo SUS?
Sim, realiza-se o TP pelo SUS, convênios ou privados. Independente da fonte pagadora do TP, todos os pacientes têm direito a pegar gratuitamente os imunossupressores na Secretatia de Saúde para o resto da vida.

9. Qual o grau de sucesso dos TP?
Mais de 80% dos diabéticos terão sucesso do TP, o que significa não precisar mais de insulina e ter dieta livre.

10. Há risco de rejeição?
Sim, mas hoje em dia os imunossupressores melhoraram muito e apenas 5-10% dos TP são perdidos por rejeição. Se o pâncreas é rejeitado ou precisa ser removido, o paciente volta a ser diabético e usar insulina

11. O TP dura pra sempre?
Não, em média o transplante de pâncreas-rim dura 12 anos e os só de pâncreas cerca de 8 anos. O paciente que perde o pâncreas por rejeição pode submeter-se a retransplantes.

Os TP devem fazer parte do arsenal terapêutico para diabéticos graves. Nos diabéticos renais crônicos é bem
maior sua chance de viver mais tempo com o transplante do que sem ele. Nos casos de TP isolados, se bem indicados para diabéticos hiperlabeis, com hipos assintomáticas frequentes e risco de morte por esta razão, o TP também proporciona mais expectativa de vida do que o tratamento conservador

Finalizando, os TP devem ser muito bem indicados a diabéticos graves. Diabéticos que estejam bem controlados levando qualidade de vida favorável não devem fazer o TP.

DR. MARCELO PEROSA
Coordenador do Programa de Transplantes de Pâncreas dos Hospitais Leforte e Oswaldo Cruz-SP e acumulando 850 procedimentos ao longo dos últimos 22 anos, maior experiência latino-americana neste procedimento.

TP=transplante de pâncreas

Veja mais

Notícias

im HEPATO FECHA 2018 COMO O CENTRO MAIS ATIVO DO MUNDO EM TRANSPLANTES DE PÂNCREAS
im Transplante de pâncreas cura diabetes tipo 1
im Dez anos curado da diabetes tipo 1
im Transplante de pâncreas acaba com 41 anos de diabetes
im Diabetes, nefropatia diabética e microalbuminúria